14 de Novembro de 1995

Nesta data Jonathan havia sido designado para seu primeiro papel dentro da Policia Civil, O chefe do Departamento da Corregedoria, Carlo, o colocou dentro de uma das equipes de investigação vinculadas a Corregedoria.

Conforme o próprio Carlo disse esse caso não iria causar muito problemas, era uma investigação que já havia sido iniciada pela antiga equipe de Carlo, a qual foi desmantelada após ele mesmo desmascarar alguns esquemas dentro da equipe, nada de muita importância, mas o suficiente para essa equipe ser retirada da investigação.

O caso tratava-se de alguns agentes da Policia Rodoviária Estadual de São Paulo que estaria facilitando a passagem de drogas para dentro da cidade, mesmo quando lhes eram informado via radio para interceptarem determinados veículos suspeitos. Já haviam sido interrogados, mas ninguém havia conseguido tirar nada deles. Há alguns meses estava sendo organizada uma emboscada para esses agentes. Em uma sexta-feira, após saírem do trabalho, foram seguindo por 2 oficiais da corregedoria, e certo de que não estavam sendo seguidos, foram até uma casa localizada em Diadema.

Os dois homens pareciam estar acostumados com essa rotina, cumprimentavam algumas pessoas conforme iam passando pela rua com a viatura da polícia rodoviária. Logo atrás deles, seguindo-os cuidadosamente, vinham 2 agentes da corregedoria, designados por Carlo, enquanto Jonathan e mais 4 homens esperavam alguns quarteirões à frente, em um carro parado alguns metros da entrada do prédio onde os dois agentes estavam indo.

Jonathan estava atento às pessoas nas ruas, a maioria nem olhava para eles, com medo de eles serem traficantes do local, o que era bom, pois assim, eles não chamavam a atenção. Jonathan estava com um pressentimento um pouco estranho, alguma coisa lhe dizia que algo poderia dar errado.

Às 20h os dois agentes investigados chegaram ao prédio que, segundo informantes, seria aonde os agentes receberiam o pagamento pelos serviços. Os dois desceram da viatura e enquanto um deles entrou no prédio o outro ficou do lado de fora, encostado na viatura vigiando o local.

Jonathan já havia percebido através de seus poderes que no prédio haviam mais 3 homens armados esperando os agentes, era para ser uma troca rápida mas o agente que havia entrado estava demorando demais para sair do prédio, deixando seu parceiro impaciente. Como Jonathan estava monitorando o agente que entrou no prédio ele já tinha notado que ele estava com alguns problemas lá dentro, os 3 homens que lá estavam o prenderam e estava interrogando o agente. Provavelmente os bandidos haviam descoberto que os agentes estavam sendo investigados e para não serem entregues por eles resolveram ”acabar” com o acordo que possuíam.

Nisso, o policial que estava coordenando a investigação junto com Jonathan deu a ordem para que o agente do lado de fora do prédio fosse rendidos e que os outros oficiais da corregedoria entrasse juntamente de Jonathan para abordar o outro policial e os bandidos.

Em movimentos rápidos os 2 agentes que estava seguindo os policiais investigados desceram do carro e abordaram o policial antes mesmo que ele pudesse reagir, enquanto Jonathan e os outros 3 homens entraram rapidamente no prédio encaminhando-se diretamente, guiado por Jonathan, ao apartamento onde estavam os bandidos.

Ao entrarem no apartamento já avistaram o policial rodoviário caído no chão com um tiro, e 3 homens, 1 prestes a atirar novamente nele e 2 dos bandidos já estavam mirando pra porta, como se soubesse que os policiais estavam chegando, mas, inexplicavelmente, todas as armas que eles estavam usando travaram e a munição estourou dentro do cano da arma. Os bandidos foram acertados pelos estilhaços da arma, 2 deles, atordoados, tentaram fugir pelo outro lado do apartamento, e o 3º foi acertado por um tiro disparado por um dos oficiais que estava junto de Jonathan.

Os dois fugitivos tentaram escapar pela saída de incêndio do prédio, mas antes que ambos conseguissem sair pela janela do quarto o policial rodoviário que estava no chão atirou no homem que ainda não tinha pulado a janela.

Os três agentes da corregedoria desarmaram os dois bandidos que haviam sido atingidos e o policial que estava no chão, enquanto Jonathan foi atrás do homem que havia saído pela janela.

Jonathan desceu as escadas de incêndio e começou a perseguir o homem pelas vielas entre os prédios, mas por não conhecer bem o local o bandido estava escapando facilmente dele. Usando de suas habilidades Jonathan conseguiu se situar dentro do local e ver qual caminho o fugitivo estava fazendo, rapidamente Jonathan conseguiu alcançá-lo e, para que ele parasse, teve que desferir um tiro em sua perna, já que o homem não atendia aos comandos do oficial.

Ao voltar ao apartamento junto do prisioneiro os oficiais revistaram a casa e encontraram com eles 20 kg de cocaína e 5 kg de craque levados pelos policiais, como se eles estivessem ajudando a realizar um entrega. E com os traficantes foi encontrado aproximadamente R$ 15.000 em dinheiro, que supostamente seriam entregues aos policiais pelo serviço.

Todos foram levados para o Departamento de Policia, e os feridos encaminhados ao hospital. O policial que foi abordado fora do prédio concordou em confessar o envolvimento com os traficantes, já que assim sua pena seria diminuída.

Ambos foram expulsos da corporação após o devido processo e julgados pelos crimes de tráfico, corrupção, dentre outras infrações administrativas.

Carlo parabenizou a equipe, mas ficou nitidamente preocupado, já que a operação poderia ter falhado, visto que os oficiais já estavam sendo esperando pelos bandidos, que provavelmente haviam conseguido algumas informações através de um informante de dentro do Departamento.

Mas isso seria uma nova investigação a ser realizada. Carlo fez dessa a sua nova equipe dentro da corregedoria, sob a coordenação direta dele e de Jonathan. E após o fim das diligências de rotina, teve um conversa com Jonathan a respeito dos métodos utilizados por ele para capturar os bandidos.

Ele o parabenizou pelo cuidado, mas alertou que a Entropia não deveria ser utilizada de maneira tão aberta, sob a visão de tantos “adormecidos”, a imprudência dos oficiais ao entrar no apartamento poderia ter custado a vida de um deles, e Jonathan deveria aprender a ser mais cuidadoso, a prestar mais atenção nos padrões sem ter que interferir neles tão diretamente, pois isso poderia causar sérios problemas para Jonathan.

14 de Novembro de 1995

Mago Jones